Água e Esgoto

ETA São Geraldo

Localizada no alto do bairro São Geraldo, esta Estação de Tratamento de Água ocupa uma área de 1.500m². É responsável pelo abastecimento de água de 20% da população da sede urbana, e sua capacidade de tratamento é de 15L/seg.

Seu sistema é do tipo convencional, possuindo:

Medidor de Vazão (tipo Parshall)

Floculadores

Decantadores

Filtros Rápidos

Tanque de Contato (mistura e tempo de ação e reação de produtos químicos)

Reservatório de Distribuição (capacidade para 150m³)

Tanques de mistura de produtos químicos

Medidor automático de vazão.

PROCESSO DE TRATAMENTO

Pré-cloração: Assim que a água chega à estação, é feita adição de cloro. O objetivo é facilitar a retirada de matéria orgânica e metais do líquido.

Pré-alcalinização: Depois do cloro, a água recebe adição de cal ou soda, que servem para ajustar o pH aos valores exigidos nas fases seguintes do tratamento.

COAGULAÇÃO: Nesta fase, adiciona-se sulfato de alumínio, cloreto férrico ou outro coagulante, seguido de uma agitação da água(mistura rápida) para provocar a agregação das partículas de sujeira.

FLOCULAÇÃO: Após a coagulação, há uma mistura lenta da água, que serve para provocar a formação de flocos com as partículas.

DECANTAÇÃO: A água passa por tanques para a decantação/sedimentação dos flocos de sujeira formados na floculação.

FILTRAÇÃO: Logo depois, a água atravessa tanques dotados com leitos de pedras e areia, responsáveis por reter a sujeira que restou da fase de decantação.

DESINFECÇÃO: É feita a última adição de cloro na água antes de sua saída da Estação de Tratamento, para garantir que a água fornecida fique “isenta” de bactérias e vírus. Também serve para manter um teor residual de cloro até a chegada na casa do consumidor (cloro residual-quantidade de cloro que fica na água para garantir a qualidade da água até as residências).

FLUORETAÇÃO: Também é feita a adição de flúor na água para a prevenção de cáries.

CORREÇÃO DE pH: Nesta etapa é feita a correção final do pH da água, para evitar problemas de corrosão ou incrustação das tubulações.

A ETA possui um Córrego e um Ribeirão que lhe fornece água, sendo um por gravidade e outro por recalque.

CÓRREGO DO JACU

Regime de trabalho – Gravidade
Vazão época de chuva – 30 L /seg
Vazão época de seca – 6 L/seg

RIBEIRÃO JUCA VIEIRA

Regime de trabalho – Recalque
Vazão época de chuva – 30 L /seg
Vazão época de seca – 30 L/seg

© 2019 Caeté . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.